Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

POR UM BRASIL SEM PRECONCEITOS!

1
jfranckbrasil · São Paulo, SP
6/6/2011 · 0 · 0
 

POR UM BRASIL SEM PRECONCEITOS!

Não acredito!
Não acredito que num país orientado secularmente no preconceito, no direito do forte sobre o fraco, possa em um curto espaço de tempo, ainda que seja de mais algumas décadas, mudar seu preconceito e discriminação contra uma raça, contra um povo, que, pela “cultura”, seria diametralmente inferior... porque, a partir daí como se justificaria a falta de afirmação pessoal, a impotência sexual, a fraqueza moral, a desigualdade social, a falência capital?!
Não haverá um Brasil sem preconceito, a não ser que uma revolução extrasensorial, uma nova conceituação sem hipocrisia, possa modificar esse quadro para sempre. O que é, bastante improvável...
A discriminação no Brasil, é tão ou maior que nos EUA!
Veja-se por exemplo, esses “novos brasileiros”: chineses, paraguaios, bolivianos, equatorianos, venezuelanos, etc., ainda que venham de fora, ainda atuem de modos a tirar algumas oportunidades dos brasileiros, ainda assim, são perfeitamente aceitos pelos racistas nacionais, desde que não possuam a pele escura!
O Brasil, com todo respeito as prostitutas, se porta de maneira análoga. Ou seja, fornece dinheiro, até mesmo moradia, para aqueles, que a única coisa que pode devolver em troca é: “porrada!” Enquanto que aos verdadeiros brasileiros, negros, mestiços, o ódio, a segregação, o desprezo!
Não obstante tanta contradição, ainda surge, os novos nazistas de sangue tupiniquim, abraçando a idéia, “do grande ditador falido!”
Um povo, isso não vale só para os brasileiros, só pode ser considerado verdadeiramente evoluído, quando aprende a respeitar os direitos de outros povos, o que parece também não ter atingido ainda os Estados Unidos, mas, isso é outra história. Agora em se tratando de direitos individuais, a grávida é ainda maior. Porque existe, o pacto discriminador. Ou seja, indivíduos adeptos de uma mesma idéia, ainda que inconscientemente, defendem os mesmos interesses, pelo bem de sua própria causa e do povo “branco!” e mais... quando a questão vem à baila, tentam de todas as formas cercear sua propagação, assim como confundir a população chamando a maioria negra, de minoria, e comparando o direitos dos negros e suas reivindicações às mesmas das chamadas minorias, como por exemplo, dos pederastas e etc. O que não tem nada a ver!
Homem é homem; mulher é mulher; negro é negro e gay é gay, como diria o cantor popular “Falcão!”
Não adianta tentar confundir a sociedade, ela não cai mais nessa.Veja-se o caso do kit-gay, que seria distribuído nas escolas públicas para nossos filhos. As pessoas, se manifestaram e tudo voltou ao seu devido lugar...
Assim é que, os direitos dos negros não tem que ser confundido com as pretensas aspirações dos articuladores do movimento em defesa dos homossexuais!
O preconceito ainda existe lá na África do Sul, mas, pelo menos o regime do “apartheid” propriamente dito, assassinatos de negros, de brancos, etc., passou graças a obstinação do grande presidente Nelson Mandela. Aqui, toda a desgraça aconteceu antes, na época da escravatura, portanto, bastante um pouco de vergonha na cara dos políticos, um pouco de dignidade da sociedade e conscientização dos jovens, para que tudo seja como tem ser e a propaganda divulga: “Um Brasil Sem Preconceito!”

compartilhe

comentários feed

+ comentar

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

veja também

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados