Quando os verbos não se casam

Higor Assis
Que belo dia para se ter alegria
1
Higor Assis · São Paulo, SP
24/3/2009 · 228 · 29
 

É por conhecimento oral, passado pelos nossos familiares, que temos o verdadeiro sentimento da atitude correta. No entanto, com o passar do tempo há um discernimento sobre as peculiaridades das coisas que não se combinam, entre elas a tal da atitude correta.


Erroneamente - em uma determinada época -, acreditava-se que a junção entre o leite e a manga, causaria nas pessoas, um tipo de envenenamento, portanto, era preciso ficar longe desta ‘mistura abominável’.

No presente o que insiste em brotar é um determinado assunto que não foge aos olhos mais atentos – a combinação não perfeita entre dois verbos: o do construir e o do preservar.

Tomo de caso o primeiro para entreter com bendito dicionário, que traduz exemplarmente do sentido da palavra como vem acontecendo. Sobre uma linha de pesquisa idealizada para este pensamento o ideal discutido por aqui relata a opção de entender melhor o seu significado.

Construir: “fazer construções, cada qual poderá construir como quiser”.

Para não deixar o verbo sozinho devo insistir em outra situação que se relaciona no mesmo sentido.

Preservar: “ao abrigo de algum mal, dano ou perigo futuro; defender-se, resguardar-se”.

A frase intrinsecamente acaba se relacionando com o que estamos vivenciando. A metrópole que envolve e engole, pior ela se torna vegetariana. É nítido o sentido das duas palavras, mas poderíamos classifica-las em um único propósito, algo diretamente dicotômico caso unidas. Para este assunto e o debate se fazer por necessário é preciso clarear mais as ideias...

Vamos ao caso

Há alguns anos o Brasil (exemplo de país em constante desenvolvimento) é reconhecido como um imenso canteiro de obras. Para instigar o leitor mais desatento, pego como ponta do iceberg (desculpe o clichê) a cidade de São Paulo. Em constante evolução, a maior metrópole do país, não tem a mínima educação em construir pensando no preservar, olhem as palavras se encontrando.

Com raríssimas áreas verdes o cinza continua a tomar conta de toda zona metropolitana da cidade, causando em seus moradores, um certo acomodar em não ver o verde tão precioso. O descaso é tão grande que quase ninguém (me refiro à população local) se da conta de cobrar o arroubo pelos órgãos capitalistas causado à área verde paulistana. Quanto mais prédios erguidos, viadutos, rodovias e shoppings, são menos as árvores, menos o sentimento e na certeza de ter menos qualidade de vida.

Segundo o sítio do Banco de Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, a porcentagem de investimentos - mesmo com a tal da crise financeira -, tende a aumentar na capital. Isso não seria entendido como notícia ruim se por acaso esses investimentos fossem reorganizados de uma forma sustentável - palavra da moda -, porém não é o que vem acontecendo.
O fato é que nós meros seres deste planeta, não compreendemos a devida reestruturação da ação dos verbos (que tomo como exemplo) para que se completem em significado e em vida, cultivando o respeito a quem chegou primeiro.

As duas palavras citadas servem de característica evidente do que os moradores sentem diariamente por aqui. Pior, para abrigar de uma maneira desumana a quem não tem condições de escolher o melhor para sua vida.

As áreas verdes poucas e raras na megalópole acabam sendo ‘protegidas’ por grades – ou será que é ao contrário e cometeram algum crime para ficarem presas ?

Os prédios já existentes não são reformados e são fabricados uns ao lado do outros isolando a vegetação local, causando, portanto, todo o transtorno que podemos detalhar ao ver os noticiários.
São Paulo se torna a cada dia uma cidade sem vida, pois aniquila sua vegetação, sua mata, seus animais e moradores mais antigos com sua forma agressiva de expansão desordenada. A extinção do verde parece não ter fim.

Um outro lado

Existe também das poucas atitudes tomadas e sérias a do lado bom. Novas iniciativas estão sendo criadas entendendo que o educar se faz necessário. O construir preservando, que faço a síntese para a pequena reflexão é diagnosticar nos lugares construídos não utilizados reformando-os e reorganizando-os para, enfim, proclamar uma devida harmonia entre o ser humano e a natureza.

Algumas Ong’s direcionadas a preservação da harmonia entre meio ambiente e construção civil estão instituindo programas para o melhoramento da condição de vida nas grandes cidades. Na capital paulistana podemos citar vários bons exemplos, mas o principal é saber que todos nós, além dos órgãos governamentais somos os principais agentes dessa transformação. Pois, não basta se industrializar, dar condições da economia local crescer, de se expandir e não proteger a conscientização de uma vida mais saudável.

Portanto, é cultivar o que já existe e assim poderemos quem sabe um dia usar um terceiro verbo para uma união perfeita: construir para preservar e o melhor de tudo, amar !

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Higor Assis
 

Em tempo: escrevi este texto antes do alagamento paulistano, neste última semana.

Higor Assis · São Paulo, SP 20/3/2009 17:39
sua opinião: subir
Pedro Monteiro
 

Amigo Higor Assis.
"Moro no conjunto Habitacional Cidade Tiradentes um dos maiores crimes ambientais cometido, quando de sua construção"
As construções ainda que, feitas com dinheiro público, quase sempre tem como objetivo outros interesses, que não são, nem a preservação do meio-ambiente, e tampouco a solução definitiva dos problemas, e sim, a projeção de administradores do “aparelho público” e outros tantos.
Estamos precisando de atitudes dos governantes e de uma forma ou de outra, de todos nós, que por vezes silenciamos frente a certas Mazelas.
Parabéns pela abordagem.
Abraços

Pedro Monteiro · São Paulo, SP 21/3/2009 18:37
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Higor Assis
 

Em tempo parte dois: Segue link de matéria de hoje do jornal estado de sp tratando mais explicitamente sobre o caso.

Higor Assis · São Paulo, SP 23/3/2009 10:36
sua opinião: subir
delen
 

É cara nossa querida Sampa está pedindo socorro , precisamos fazer algo pois uma hora ela vai explodir. Abraços ...

delen · Cotia, SP 23/3/2009 11:28
sua opinião: subir
Ilhandarilha
 

Higor, Vitória é uma cidade bem menor que São Paulo. Ainda tem algumas áreas verdes. Mas o que a caracteriza atualmente é a quantidade de construções: tem obra pela cidade toda. Obras nas vias, nos prédios públicos, construções e mais construções. Houve um boom na construção civil aqui. Até mesmo ao lado do aeroporto estão subindo edifícios altos. É claro que isso vai trazer problemas ambientais enormes.

A coleta de lixo, embora seja razoavelmente eficiente na capital, não é feita seletivamente. A educação ambiental também é fraca e o povo joga lixo nas ruas sem o menor constrangimento. A gente aqui não sofre com enchentes, como o paulistano. Mas, continuando assim, elas logo serão um problema nosso também.

Morar nas cidades é estar constantemente estressado por esses problemas.

Ilhandarilha · Vitória, ES 23/3/2009 14:07
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Kais Ismail
 

Um forte abraço

Kais Ismail · Porto Alegre, RS 23/3/2009 14:09
sua opinião: subir
alcanu
 

Sampa cresce vertiginosa e descontroladamente...
seu povo não sabe respeitá-la em sua essência e todos nós sofremos as consequências !
Excelente trabalho, Higor !
Um beijo !

alcanu · São Paulo, SP 23/3/2009 22:10
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Amigo Pedro, sua região é isso mesmo. Quando eles iniciaram as obras em tiradentes poderiam ter criado uma harmonia, naquela época nem tanto pela desordem das construções, mas pela convivência que o ser humano deveria ter com a natureza.

Delen, depende apenas de nós, só de nós...

Claudia, logo infelizmente sua cidade que já esta com o boOom da construção civil irá passar por tudo que há anos estamos passando. O texto que coloquei por aqui é justamente isso um grito para não acontecer em outras cidades e quem sabe uma possível melhora nas que já estão totalmente desordenadas como SP.

Alcanu, existe ainda mais possíbilidades deste povo que não cultiva a harmonia entre natureza e o ser humano. Muita coisa pode piorar se por acaso deixarmos como esta.

Higor Assis · São Paulo, SP 24/3/2009 09:47
sua opinião: subir
azuirfilho
 

Higor Assis · São Paulo (SP)
Quando os verbos não se casam

Um Trabalkho de Capricho e de beleza.
Construir e Preservar numa teferência.
Temosa deter a coinsciência das coisas poara sermos felizes.
Tudo que é Humano ~e do interesse dos Humanos e vice versa.
Parab~ens peli Trabalho que é de Humanidade e de Interesse público.
Anração Amigo

azuirfilho · Campinas, SP 24/3/2009 10:53
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Salvai-nos por caridade
pecadoras invadiram
todo centro da cidade
armadas de rouge e batom

(Tom Zé, in São, São Paulo, 1968)

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 24/3/2009 16:36
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

Higor
Matéria importante nesse caos que se encontra as cidades brasileiras, não só a capital São Paulo, mas também suas cidades vizinhas...uma maneira desordenada de construir onde é área preservada, tudo passa nessas prefeituras brasileiras, o cidadão comum, até com pouco estudo, percebe o acinte dessas contruções fora de prppósito, inúmeros condominios verticais, sem a melhoria urbana e de saneamento e educação nas escolas sobre meio ambiente.
É tamanha a vontade de lucrar sempre sem pensar em nada e em ninguém , nem na própria família que deixar[a aí para viver em sofrimento no futuro, apesar que o futuro já é este, mas muitos ainda não perceberam....

.

Cintia Thome · São Paulo, SP 24/3/2009 17:23
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

Igor,
maravilha de texto
Dois verbos que se forem bem conjugados
ainda poderão salvar o planeta.
" Construir preservando"´, deveria ser um Slogan e uma
bandeira de luta contra a desvastação indiscriminada
que acontece em todos os Estados.
Bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 24/3/2009 17:52
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Amigo Azuir, realmente meu amigo tudo é ser-humano. Precisamos apenas avisa-los.

Adro, todo nós precisamos desta ajuda.

Amiga Cintia, obrigado pelo elogio. Fico feliz por ter gostado, pois receber um elogio teu é muito importante pra mim. Sobre o texto é essa verticalização que vai devastar toda cidade. A imprensa cada dia noticía as reportagens sobre violência e roubo (só passam isso) e as pessoas acreditam que morar em prédio é mais seguro. Todos os dias em SP é lançado um novo prédio, um novo andar para a sujeira, para a banalização deste tipo de moradia. Aqui nada é respeitado, nada mesmo.

Doroni, valeu pelo comentário. Tenho medo dessa devastação e onde trabalho é um simbolo disso. Antes havia pássaros por aqui, mas as contruções para a passagem do metro, dos prédios que viram trataram de devastar as poucas árvores que se tinha por aqui. Agora só ouço carros e britadeiras...

Higor Assis · São Paulo, SP 24/3/2009 18:06
sua opinião: subir
Andre Pessego
 

Das mangas, comer leite e manga. Rapaz, no Piauí, na minha época, dava lavagem estomacal com água morna........
Dos crimes ambientais, estes estão como os crimes de escravidão.
A escravidão no Brasil caminhou par e passo com a escravidão. As duas legais, rigorosamente dentro das leis. Tanto uma como a outra
ainda existem legalizadas.
A Semana passada, nas fazendas de um Juiz foi encontrado um batalhão de trabalhadores escravizados. E nada aconteceu........
abraço
andre.

Andre Pessego · São Paulo, SP 24/3/2009 22:48
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

Higor...sobre o seu excelente trabalho, nada a comentar, só aplaudir...Aprendemos todos, certamente !

Contudo, deixa te contar um estorinha ( vou resumi-la pra nun cansar muito, e vc chegará onde quero demosntrar tb...) :

Estavamos eu e familia, na Disney da Flórida, em Miami...( passeio bem "de família", né mesmo...rs)
Como deve saber, o parque é impecável, na questão da limpesa...
Raramente, apesar de ser visitado por zilhões de pessoas do planeta todo, voce vê algo que destoe desse "estado de pureza", conclamado pela higiene e ordem comum, pelo parque todo...

Só que, em determindo momento, passamos por um local comum, e vimos lá num canto, uma verdadeira lixeira a céu aberto, onde proliferavam toda sorte de papéis, caixinhas de hamburguers, saquinhos disso e daquilo, latas de refrigerantes, tudo "junto e combinado", jogado de qualquer jeito, enfim, uma balburdia que "subvertia" de todo o resto, super limpo e organizado...

Bem, pra encurtar, como prometi acima, sem mairoes informaçoes pois estou certo que ja "picturizou" a cena, adivinha de qual país ( pois repetindo, la encontra-se excursões vindas de todas as matizes de povos e países...) era a excursão que acabara de passar e se instalar no local "do crime" ??????

Imagine tb, como eram os comentários ( discretos e indiscretos...)
que tivemos que ouvir calados, não por subserviência ou inferioridade, ou coisa que o valha, mas por VERGONHA mesmo ?

Pois é, amigo...Triste sina essa nossa, de largarmos a Amazônia ao "deusdará", por exemplo...Triste sina essa nossa de a grande maioria das capitais brasileiras não efetivar de uma vez por todas,a questão dos lixos seletivos...Triste sina essa nossa, de criar favelas verticais (Singapuras e congeneres...) e de "oficializar e hurbanizar" favelas, como se isso fosse "politicamente correto" e não somente ato perfunctório e comodista...Triste sina a nossa, do descaso de nossos mandatários, de "tapar o sol com a peneira", no caso muito bem lembrado pelo André Pêssego, dos trabalhaores escravos, prostituição infantil, etc e tal...

Infelizmente enxergo isso, apersar de "...Novas iniciativas estão sendo criadas entendendo que o educar se faz necessário..." ( sic) - o que vc tem toda razão - como uma "endemia" de continuarmos "caminhando na contra-mão da história"...

Alea jacta est...

Abraço, amigo...exímio postado !
Joe

joe_brazuca · São Paulo, SP 25/3/2009 01:01
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

ah !...adoro manga com leite !!!...rsrs

joe_brazuca · São Paulo, SP 25/3/2009 01:01
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

digo, URBANIZAR...

joe_brazuca · São Paulo, SP 25/3/2009 01:04
sua opinião: subir
Spírito Santo
 

Higor,
Ao que parece esta 'nossa' deseducação, esta carência incrível que a nossa sociedade sofre de urbanidade e decência é crônica.
Acusam a nossa herança genética, ora o portugues ora o africano, paternalizando o índio, tido e havido como o 'protetor da natureza'.
Não sei se ignorância, arrogancia e estupidez podem ser atributos da genética. Na verdade sei sim: Não são.
Estamos é mal arranjados com nossas supostas elites (palavra velha cujo uso corrente prova o anacronismo do país), formadas por um dos piores sistemas de educação do mundo, em todos os níveis, que forma gente que ficando rica às custas das circunstancias de nossa desigualdade social tnão menos crônica, 'se acha' e consome tudo, devora tudo, até mesmo seus semelhantes abaixo de seu 'nível social'.
Desanima e envergonha.

Tiremos o português e o africano desta hsitória. São gente de outra estirpe, outra elite, gente real.

Spírito Santo · Rio de Janeiro, RJ 25/3/2009 08:37
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Amigo André, sabes que defendemos as mesmas causas. Mesmo como tu me vê ai na foto 'branquinho' de cor, minha familia é toda negra, apenas pela exceção de minha mãe - de pai diferente. Acompanho o repórter brasil e outros sítios sobre a questão da escravidão, acompanho também as notícias sobre tal assunto. Concordo com tudo que disse e, digo mais, acredito ainda que a educação possa fazer mais por este país, mas nós também não podemos cruzar os braços... cada um que faça sua parte e defenda a ação dos verbos.

Joe, resumindo: esta tudo bagunçado! Mas seria um belo avanço se a população ajudasse e desse outras respostas, por meio de suas próprias iniciativas, como as citadas no links que coloquei, concorda ?

Spírito, tomo seu depoimento como um conscentimewnto de 'mea culpa' que os governantes impõe para a população. Raramente eles assumem e creditam tal condição ao que você mesmo citou.

"Tiremos o português e o africano desta hsitória. São gente de outra estirpe, outra elite, gente real".

Mas todos nós somos brasileiros e estes que viveram por aqui e aqui se fizeram homens também são, portanto, para bem ou para mal, culpados...

Higor Assis · São Paulo, SP 25/3/2009 09:49
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Em tempo parte três: segue outra matéria com plena referência ao tema abordado por aqui. Será que vão construir preservando ?

Higor Assis · São Paulo, SP 25/3/2009 11:28
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

Opa, Higor !...concordo e assino em baixo !
Beleza de exemplos que só meredem e DEVEM ser seguidos !
abraço e vamo que vamo...
Joe

joe_brazuca · São Paulo, SP 25/3/2009 12:28
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

merecem...(ainda não coseguiram resolver o "pobrema" de se arrumar o que se escreve errado por aqui...acho que não sabem mesmo...rs)

joe_brazuca · São Paulo, SP 25/3/2009 12:29
sua opinião: subir
FILIPE MAMEDE
 

Higor meu velho, aqui em Natal a coisa não é muito diferente. O boom das construções prediais estão causando o envenenamento dos lençóis freáticos, isso por que, numa área de 100 metros quadrados, erguem-se prédios comportando 50 familias, despejando todo o esgoto num pequena área. Depois disso, como o saneamento é precário, o esgoto acaba indo parar nos lençóis contaminando-os com nitrato, substancia cancerígena. Enfim, um verdadeiro balaio de gatos...

FILIPE MAMEDE · Natal, RN 25/3/2009 13:02
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Amigo Filipe, fico mais chateado ainda quando leio este tipo de mensagem. Continuamos lutando e noticiando.

Higor Assis · São Paulo, SP 25/3/2009 17:34
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Em tempo parte quatro: um apartamento nada popular.

Higor Assis · São Paulo, SP 25/3/2009 17:35
sua opinião: subir
Branca Pires
 

Verdade Higor, tais verbos tão em voga hoje em dia. mal se cruzam na prática. Quando o assunto é contrução, sai de baixo pq estarão levando sem sombras de dúvidas as nossas árvores, os nossos verdes e os nossos amenos ares.
Somos responsáveis (generalizando, pois nas menores ações contibuimos para os desstres da natureza) em parte, pelos desatres ecológicos. E os resultados estão aí, para todos sentirem e comprovarem, infelizmente!
valeu a chamada, parbéns pelo tema.
beijão

Branca Pires · Aracaju, SE 25/3/2009 19:32
sua opinião: subir
Cláudia Campello
 

É como eu sempre digo, de poli-titca ja estamos de sacos cheios.
temos que dar um grito ai....e que ele ecoa aqui....onde o verde ainda é exuberano, mas por qto tempo ?
temos que tirar o bumbum do comodismo....né não ?
sei lá....um novo movimento.....eu topo ! afinal quero minha filhota respirando um ar mais puro.....

bjsssssss;)

Cláudia Campello · Várzea Grande, MT 26/3/2009 04:26
sua opinião: subir
Benny Franklin
 

Em Belém - também - não é diferente...
Boa, Higor!

Benny Franklin · Belém, PA 28/3/2009 03:28
sua opinião: subir
Sinvaline
 

Higor bela matéria! Imagine que aqui temos o segundo maior lago artificial do mundo e o povo o entope de toda sorte de lixo desde papeis de balas até animais mortos sabe lá por qual doença! Engraçado que as autoridades nao tomam atitudes como multar ou até prisão, só assim resolveria!. Com a falta de água prevista, esse lago devia ser respeitado!
Gostei muito!
Bj

Sinvaline · Uruaçu, GO 31/3/2009 21:19
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

Desconstrução zoom
Desconstrução
Lixo e mais lixo, São Paulo virou cidade de ninguém zoom
Lixo e mais lixo, São Paulo virou cidade de ninguém
O descaso do próprio cidadão zoom
O descaso do próprio cidadão
Alagamento: a culpa é de quem ?! zoom
Alagamento: a culpa é de quem ?!
Poucas sãos as decisões zoom
Poucas sãos as decisões
O ser humano e a vida marinha zoom
O ser humano e a vida marinha

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados