Revista O Pavio

1
PauloZab · Macapá, AP
26/6/2007 · 170 · 7
 

A Revista O Pavio é mais um poderoso instrumento de difusão de idéias originais no Amapá. Ela é o primeiro projeto aprovado pelo Conselho Estadual de Cultura para fazer uso da Lei Estadual de Incentivo a Cultura e já possui distribuição em Macapá, Santana e Laranjal do Jarí. Com o slogan “Informação não precisa ser chata” e com a tiragem de 3.000 exemplares a equipe da revista, com seu formato de 28X42 cm, já lançou duas edições (e a terceira já está no forno) cheias de charges, imagens, dicas de HQ´s e Internet, resenhas de livros e filmes e matérias que se reportam, principalmente, ao universo acadêmico e pré-universitário. Além disso, suas páginas são carregadas de humor que se reportam a questões locais e cotidianas como, por exemplo, o quadro “Positivo e Operante” onde se pode saber as situações mais inusitadas registradas nos CIOSPs (Centrais Integradas de Polícia) da cidade, contadas por quem mais entende do assunto: “Os polícia”. Outros conteúdos engraçados e (sempre) atuais são os que estão na série especial sobre os buracos nas ruas da cidade de Macapá, assim como o de outros problemas e discussões locais, mas para resolver estas dificuldades e atender melhor à demanda da equipe a Revista O Pavio conta com uma gama de personagens e Super Heróis, caso de Xibé Kid, um caboclo muito louco do Abacate da Pedreira (localidade do interior do Amapá). Ele estuda Física Molecular pós-Moderna no Massachutes Institut of Tecnology do Abacate da Pedreira e que, vez em quando, passa férias em Macapá, posando de editor chefe da revista. Além disso, podemos contar ainda com a presença do Capitão Albatroz, um super herói que não se manca em pensar que é Super Herói, apesar de ser muito famoso nas Ilhas Canárias ao contrário do Capitão Açaí, um herói vitaminado e infalível, mas por conta de tomar muito açaí acabou ganhando uma barriga um pouco avolumada.

Depois de ter lido a revista e ter encontrado muitos temas interessantes, sentimos a necessidade de conhecer melhor o projeto e o processo da Revista O Pavio e fomos em busca da Diretora Geral, Cíntia Souza:


Fale um pouco sobre o processo de aprovação do projeto na Lei de Incentivo a Cultura, já quem ele foi o primeiro.

Eu e o Elton (Diretor de Marketing, criação e vendas) elaboramos o projeto com a ajuda de uma consultoria. Depois colocamos o projeto para aprovação na comissão técnica da Fundecap (Fundação de Cultura do Estado), que por sua vez encaminho para o Conselho Estadual de Cultura. Daí foi parar na mão do relator, representante da Comissão de Letras (do conselho), o Pantoja, que defendeu o projeto com muita emoção e isso ajudou muito para que ele fosse aprovado unanimemente por todos os conselheiros, apesar de alguns não acreditarem muito nessa história de revista-humor-informação.

Imagino que tenha sido uma longa trajetória, não? Mas fala mais sobre o processo de formação da revista e explique mais esse lance de "revista-humor-informação":
Em 2001 eu estava voltando de Mogi (SP), de onde tinha acabado de pedir a transferência do curso de jornalismo para cá (Macapá). Daí tive a idéia de publicar uma HQ, mas com personagens regionais. Seriam Super Heróis que defenderiam a Amazônia contra a invasão da superficialidade promovida pelo exagero consumista. Então eu fui reencontrar o Elton, porque ele gostava de rascunhar e era engajado no movimento secundarista, foi membro da diretoria da UMES (União Macapaense dos Estudantes Secundaristas) e eu era integrante da SLOM (Semente Libertária Organizada de Macapá) - um coletivo Anarco-Punk formado por Eron, Buba, Picolé, Marcelinho punk, a Lana, o Ailzo, o Boca (Paulinho) e mais uma pá de gente. Nos encontramos, discutimos a idéia, chegamos a projetar uma boneca, mas outras coisas aconteceram e acabamos engavetando o projeto. Mais tarde a gente resolveu publicar reportagens sobre música, esporte e cultura, na época nós chamávamos a revista de "Pavio Curto", chegamos a reunir duas equipes de jornalistas e chargistas, antes de vingar. No ano retrasado, depois que a lei foi homologada, a gente conseguiu montar "a equipe".
Desde então trabalhamos a informação, pela necessidade de cumprir meu papel social (primeiro por ser um lance pessoal e depois pela carreira mesmo - se bem que uma coisa tá bem ligada a outra. rsrsr). Humor a gente também justifica como uma necessidade no cotidiano. Confesso que já não tenho tanta motivação, mas sei que nessa vida é preciso rir, e de nós mesmos, o que é pior rsrsrs.

Qual a equipe que está consolidada na revista hoje?
O Ivan Carlo foi contratado como editor chefe, ele já ganhou prêmio literários, às vezes assina como Gian Danton (você pode achar muito sobre ele na net), é amante dos HQs e um dos mais entusiasmados. O Elton é o diretor comercial e também responde pela criação, a gente prima muito pela qualidade da criação, pois a linguagem visual tem que ter o mesmo nível dos textos. Tem também 2 jornalistas de prima: A Ronelli Aragão, uma mola muito criativa, ela é uma ótima repórter, usa muitas entrevistas para poder escrever. Além dela e de mim, trabalham outros jornalistas, como o Ivan Carlo e Ana Girlene. Temos colaboradores como o João Bolero Neto, que escreveu umas notas nesta segunda edição e o professor Wirlei de Oliveira, que escreveu um artigo sobre as desventuras da língua portuguesa. E nessa mesma coluna, porém, na primeira edição publicamos um texto da professora Clébia. Os dois dão aula em cursinhos.
Daí temos a equipe da arte, os chargista: Andrew, Honorato, Dinaelson, Edricy e o Ronaldo Rony. O Elton finaliza no photoshop e também faz as outras ilustração com montagens. Além deles tem a equipe da distribuição: Nauber, Aracy, Manuela e Bruna e o Cici, que é o diagramador oficial, mas que, na verdade, só aparece aqui uma vez pra formatar todo o material na linguagem da gráfica, pega o trabalho já praticamente todo pronto.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
wiene
 

olá, gostaria de saber como adquirir um exemplar dessa revista. Afinal de contas, o Overmundo existe pra isso - fazer intercâmbio entre diferentes culturas do nosso país.
grato,
artur.

wiene · Cuiabá, MT 25/6/2007 13:27
sua opinião: subir
Roberto Paixão
 

Fico na mesma dúvida/solicitação do Artur.

Roberto Paixão · Rio de Janeiro, RJ 27/6/2007 10:16
sua opinião: subir
Pepê Mattos
 

Vou comentar melhor depois que dar uma lida. Por ora, louve-se e apoie-se a idéia, além, é claro, de adquiri-la. Agora, fica uma questão a resolver que vem a ser como sanar a dúvida do Artur e do Roberto.

Pepê Mattos · Macapá, AP 27/6/2007 16:54
sua opinião: subir
linney
 

Este projeto, pode servir de exemplo para grupos de outros estados usarem as leis de incentivo a cultura.

linney · Canoas, RS 27/6/2007 18:54
sua opinião: subir
PauloZab
 

Olá moçada, achei legal o interesse de vocês pela revista, pois acho que vale a pena ter uma. Quem tiver interessado entre em contato pelo endereço revistaopavio@gmail.com. Eles vão ficar felizes em atender vocês .

PauloZab · Macapá, AP 28/6/2007 21:58
sua opinião: subir
PauloZab
 

Linney, eu também acredito que o caminho tomado pela equipe da revista pode servir de exemplo para esclarecer muitas dúvidas a respeito da lei principalmente aos que atuam aqui no Estado.

PauloZab · Macapá, AP 28/6/2007 22:02
sua opinião: subir
SILVASSA
 

boa iniciativa. feita na cara e na coragem. pego a minha em breve.

SILVASSA · Salvador, BA 1/7/2007 10:38
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

zoom

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados