Sentido na Interação

Rosana Paste
1
Ana Murta · Vitória, ES
7/6/2006 · 97 · 8
 

“Eu gosto do seu trabalho”. Foi a primeira coisa que eu disse à artista plástica Rosana Paste quando nos conhecemos em uma de suas exposições. Mas só muito tempo depois eu fui entender o tamanho do sorriso dela diante do meu comentário.

É que pra que essa escultora, a arte é extensão da vida; E trabalho, extensão do prazer. Natural de Venda Nova do Imigrante, Rosana é do tipo que invade nossa varanda e olhar, testemunhando e transformando os fatos. Sua presença é sinestésica. E é impossível dissociar criador de criação, porque sua obra também é assim, adquire sentido na interação.

Suas peças incitam o espectador a tatear, e se transformam em extensão do gesto. Seu movimento existe a partir do movimento de quem observa. Tronco, olhos, pernas se movem, e começa a viagem que nos leva a um ordem sensorial mais profunda. Mas sem alarde, a percepção simplesmente se dispersa e o corpo interage sem pensar.

Na exposição Escultura de 1998, estacas de ferro torneado, solitárias, ocupavam o espaço do teto ao piso. Círculos de ferro fundido com rodinhas brotavam do chão. E o portal de alumínio torneado na parede do fundo da galeria se transformava em um convite minimalista pra dimensão imaginada por cada um.

Suas peças são concretas, bem desenhadas, com formas limpas e evidentes, e cujo sentido se constitui a partir do espaço que ocupam. Talvez como herança da performance, linguagem explorada por Paste no início da carreira. A lança de ferro obriga o espectador a devorar o teto com pálpebras e mirar o chão, que o regala com os dentes expostos.

Rosana já usou inox, chumbo, ferro torneado, pele de coelho e vidro soprado pra construir obras duras e inflexíveis que, paradoxalmente, ganham mobilidade e sentidos múltiplos a partir da interação. A mobilidade das ações de quem olha destoa da rigidez das formas, não deixando o olhar deter o instante que passa.

As estalactites de aço, sólidas, industriais, se lançam de todos os lados. Surgem das paredes, do teto, do chão. Se olham, mas não se encontram. Convergem, mas não estabelecem contato, a não ser pela fragilidade do vidro, em esferas que mais parecem bolhas de sabão prontas pra estourar nas pontas de algumas lanças.

Os corpos metálicos e pontiagudos apontam para uma direção que nem sempre o espectador segue. A equilibrista Rosana não escreve nada nas entrelinhas, deixa tudo exposto nas linhas pra quem quiser ler. E uma boa leitura requer imaginação, e produz lugares possíveis que originam novas imagens e pensamentos no leitor.

Tiago Mesquita escreveu no texto de apresentação do catálogo da artista : “A escultora procura atos dispersos por um fluxo de sensações simultâneas, onde uma coisa não continua na outra”. E é isso ai. Não por acaso o texto se chamava Presente Perfurado. Rosana trabalha com a efemeridade. Não nega o passado, nem teme o futuro, mas vive no presente com a liberdade de poder mudar de idéia.

A exposição retrospectiva da carreira, no ano de 2005, assumiu a feição da artista, que tem um estilo de vida marcado pela naturalidade e pela despreocupação responsável. A mostra era um álbum pessoal, coroado com uma das obras tatuada nas costas de Paste em grandes dimensões, e com tatuagens em miniatura do mesmo desenho distribuídas aos convidados.

Objetos das diversas fases dos 15 anos de criação expunham e celebravam a aliança entre uma arte e um modo de ver o mundo. É arte visual sim, e é trabalho, como ela gosta de dizer. Trabalho que mescla aridez e fecundidade, exagero e ponderação. Resultado de esforço, suor, solidão, amor. Tá tudo lá nos objetos que se misturam ao público, construindo a sintaxe da forma.

E desde 2002, ela desenvolve um projeto para uma individual. Mais uma vez, toda pensada em escala. Em altura, largura, profundidade, inox e mármore. E o espaço se torna elemento ainda mais forte nessa nova fase. “Não vejo mais uma galeria comportando meu trabalho. Pela natureza dele, pelo tamanho mesmo. Queria expor em uns cinco jardins, sei lá.”

Rosana tem 6 individuais e diversas coletivas em Vitória e outras capitais do país. Faz direção de arte para cinema, e é professora das disciplinas Vídeo e Escultura na Universidade Federal do Espírito Santo. Atualmente é também Secretária de Cultura da UFES. Tem 38 anos, é leonina e gosta de preto e branco.


Contato : rosanapaste@bol.com.br

compartilhe

comentários feed

+ comentar
wado
 

Muito bom o texto, imagino o quão difícil deva ser escrever sobre coisas assim abstratas. Apesar de muito físicas. Dá vontade de ver outras peças. Parabéns meninas!

wado · Maceió, AL 8/6/2006 03:57
sua opinião: subir
eduardo ferreira
 

interando a gente se entende, né? queria ver mais imagens da obra. abstração e materialidade são apenas lados dos mais de mil dados que lançamos no tabuleiro...abstraindo, abstraindo, é, estou...

eduardo ferreira · Cuiabá, MT 8/6/2006 12:58
sua opinião: subir
Ana Murta
 

Wado, legal que gostou. Fico feliz. Foi mesmo um desafio da porra escrever sobre o trabalho da Rosana. Porque pra mim é uma coisa meio sonho, uma viagem, dimensão paralela, difícil de descrever. Tem que experimentar, vivenciar.
Também senti falta de mais ilustrações, mas envia teu endereço que te mando um catálogo.
Parabéns pra Rosana Paste, que inspira.

Ana Murta · Vitória, ES 8/6/2006 21:03
sua opinião: subir
Ana Murta
 

Eduardo,
mando um catálogo pra tu também.
E Meninos, quando tiver outra exposição faço um vídeo e ponho no banco de cultura.
Vocês fazem a trilha.

Ana Murta · Vitória, ES 8/6/2006 21:04
sua opinião: subir
Tiago Mesquita
 

Ana, parabéns pelo texto. Pouco tempo atrás escrevi um longo artigo a respeito do trabalho da Rosana Paste (esse mesmo que você cita). Infelizmente não o tenho digitalizado, caso alguém consiga, por favor, me envie. Seria muito legal colocar aqui no saite, junto do seu, assim, poderíamos continuar a conversa.
abraços a todos

Tiago Mesquita · São Paulo, SP 16/6/2006 22:52
sua opinião: subir
Guto Marins
 

Aninha,

Maneiríssimo, como sempre... um abraço.

Guto.

Guto Marins · Vitória, ES 28/6/2006 13:15
sua opinião: subir
Ana Murta
 

Ei TIAGO, prazer te ver aqui cara !! Infelizmente não tenho seu texto digitalizado, tirei a citação do catálogo impresso. Mas escreva pra Rosana, de repente ela ou o designer que cuidou do catalogo tem. E fique a vontade pra postar seus textos aqui. SEja bemvindo.

Ana Murta · Vitória, ES 4/7/2006 11:13
sua opinião: subir
Ana Murta
 

Que bom que gostou Guto. Valeu.

Ana Murta · Vitória, ES 4/7/2006 11:14
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados