sonhos, câmeras, ação:

1
Lucas de Meira · Curitiba, PR
27/9/2008 · 118 · 2
 

Há alguns meses, tive uma idéia, que ainda parece ser minha, de um novo formato de reality show. Procurei pensar em algo que pudesse contribuir de forma mais efetiva, culturalmente falando, com a disponibilidade que as pessoas têm para perder tempo. Algo que fosse além da pura diversão gratuita, que possuísse elementos que não reduzissem a audiência ao desfecho de uma intriga infantil, dentroutros ingredientes que levaram o gênero à exaustão. Na verdade, nem sou grande apreciador destes programas, mas sempre procurei saber no que deram e o que não deu certo em cada formato.

O fato das emissoras brasileiras terem de pagar fortunas para obter o direito de idéias geradas no exterior me incomodou bastante. Foi a verdadeira motivação para o desenvolvimento do projeto.


Pois bem, o título do programa acabou sendo o primeiro que pensei,

SONHOS, CÂMERAS, AÇÃO:


Os participantes serão atores, profissionais ou não, de preferência inéditos na tevê. Não tive como não pensar em ver o SCA exibido na Rede Globo, não só pela tradição na teledramaturgia, mas pelas oportunidades de encaixe do programa em várias outras atrações da emissora. E também pela premiação final conter o contrato do ganhador com a empresa, imaginemos, por exemplo, como um dos protagonistas da novela das 8 ou das 9.

12 participantes, como de praxe.

O primeiro dia de exibição do programa será numa noite de domingo, apenas para apresentação dos participantes entre si e ao público.

Na segunda-feira, a primeira prova, de conhecimentos sobre teledramaturgia, teatro e cinema, definiria o Diretor. Este, poderá escolher 5 participantes para formar seu grupo, que chamaremos de Grupo A. Os remanescentes formarão o Grupo B.

As avaliações dos participantes serão realizadas através de apresentações dramáticas.

O Diretor poderá escolher, dentre cinco peças/cenas, a que o GA realizará. Um sorteio, também realizado pelo Diretor, determinará a peça/cena que o GB representará. Um segundo sorteio determinará se o GB receberá o roteiro ou terá de produzir uma adaptação.

Não haverá interação entre os dois grupos durante os ensaios, pois estarão divididos em duas casas. A Casa A é confortável, possuindo toda a estrutura necessária para o desenvolvimento tranqüilo dos ensaios, dispondo de fartura em todos os sentidos. A Casa B é bem menor, possuindo apenas o indispensável. Deve representar pressão.

Na terça-feira, uma nova prova determinará qual dos grupos receberá cenários e figurinos completos. O grupo perdedor terá de improvisar com os objetos do Porão. Detalhe: o número de objetos retirados do porão será limitado, assim como o tempo para a tarefa.

O grupo vencedor desta segunda prova receberá, na quinta-feira, a visita de um diretor ou ator consagrado, que, durante uma ou duas horas assistirá o ensaio, enfim, ajudará na realização.

O Grupo B se apresentará na sexta-feira, antes do Globo Repórter.
O Grupo A se apresentará no Sábado, antes do Zorra Total.


As apresentações serão ao vivo, tendo no mínimo vinte e no máximo trinta minutos de duração, avaliadas por três jurados presentes e pelo público através de telefone ou internet.


A equipe perdedora seria anunciada durante o Domingão do Faustão. Imediatamente os participantes desta, individualmente, indicariam um membro de seu grupo para deixar o programa. Em caso de empate, o Diretor da semana, o único imune, determina quem sai. À noite, os participantes se reencontram, logo após o Fantástico, numa nova festa. A partir daí a base do programa é a repetição do formato da primeira semana, com algumas outras idéias inseridas no decorrer, até chegarmos aos dois monólogos finais.


(Não perdendo a oportunidade, no parágrafo acima está o embrião de outra idéia, o DOMINGLOBO, só pelo nome já dá pra captar, né? Com o DOMINGOL fechando a programação...)


Infelizmente, não consegui apresentar o projeto à Rede Globo. Insisti por telefone, por carta, jamais conseguindo retorno ou brecha. Enfim, por e-mail, o Senhor Webmaster me respondeu: a política da TV Globo é de uma empresa estruturada de forma a que seus processos de criação e comercialização sejam de exclusiva responsabilidade de equipes internas. É política da TV Globo não receber colaborações externas.


Não vou perder tempo com comentários críticos. Apenas devo deixar claro que, apesar da muralha, sempre fui bem atendido, tanto quando liguei, quanto pelo Webmaster. Pena ninguém ter perguntado sobre o que era o projeto. E isso que em momento algum falei em dinheiro.


Brasil.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
joe_brazuca
 

Beleza de Idéia !...quem sabe assim , e só assim, o nosso sofrido e encurralado "povão", as massas populares que como vc disse, "perdem tempo" vendo os BBB da vida, comecem a descobrir ( ou, pra ser menos acido e mais complacente) re-descobrir, o nosso teatro, e tb novos talentos sejam descobertos, mesmo que compulsoriamente "

(uma dica, amigo : registra em cartório sua idéia, pq "a Globo te faz de Bobo"...cuidado !...de repente, vc vê lá "seu" programa rolando...e eles faturando bilhoes)

grande abraço, overmano
Joe

joe_brazuca · São Paulo, SP 28/9/2008 18:06
sua opinião: subir
valdezz
 

otima ideia! não desista

valdezz · Arraial do Cabo, RJ 27/11/2008 09:17
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados