Último Round: Máxima poética, mínimas palavras

Créditos desconhecidos
Capa do livro " Último Round ", do poeta piauiense Rogério Newton
1
Elias Paz e Silva · Teresina, PI
20/1/2010 · 14 · 13
 

Último Round:
Máxima poética,
mínimas palavras


Um livro de poemas para se degustar à vontade: comê-lo, fruindo o prazer estético e compreendê-lo, interpretando-o, dialogando em silêncio com o autor, à luz da sensibilidade e da razão crítica. Último Round - livro de poesia de estréia de Rogério Newton Carvalho de Sousa - é um presente que cabe no bolso, acalenta o coração e está predestinado a ser uma referência na produção literária de expressão piauiense e brasileira.
Lançado no último dia 09 de abril em Oeiras-Piauí - cidade natal do poeta -, em praça pública, com direito a performance teatral, Último Round é a síntese (os poemas são curtos) do trabalho de Rogério Newton com a palavra poética, ao longo de vinte anos. Cronista, com dois livros publicados (Ruínas da Memória, 1994 e Pescadores da Tribo, 2001), Rogério Newton já trouxera a público poemas esparsos em antologias e jornais (Baião de Todos, 1996 e Floretim, 1985), que nos davam o vislumbre do poeta que é e do homem, atento aos eflúvios da vida.
Último Round é composto de 30 poemas mínimos (poemas-comprimidos à la Oswald de Andrade), que refletem a natureza do trabalho do autor e caracterizam suas preocupações estético-existenciais. Das muitas vozes que polifonam a poética rogeriana detectamos um time seleto, que vai de Ezra Pound aos Concretos, Bandeira e Geração Mimeógrafo, da qual faz parte. Todavia, Rogério Newton tem estilo e dicção próprios, que fazem dele uma "voz reconhecível" em meio a tantas vozes poéticas.
Rigor estético, síntese, rimas raras, ricas, pobres, ritmo dissoluto, temas cotidianos e universais, Último Round traz pequenas obras-primas poéticas, perpassadas pelo desencanto romântico lírico consigo mesmo e com o mundo (Sou um homem / sincero / elevado / a / zero) e pela coragem épica de encarar a vida e o labor literário. Não é à toa que o poeta inaugura seu ofício literário em livro aos 44 anos, idade em que a maturidade existencial é um signo natural. O anti-épico pós-moderno "Ser/Res/Ser" ou o "fito/in/finito" são diminutas reflexões poéticas, que extrapolam ao campo literário e estão em intersecção com a filosofia e a religião. Rogério Newton diz poeticamente, com a expressão mínima, máximas de vasto conteúdo.
O projeto ético-estético do poeta está expresso em "ser campeão de poemas ao cesto", não um poeta bissexto. Diz do rigor e da responsabilidade com que o autor encara sua "profissão". Há, também, em Último Round, maestria, inventividade e originalidade, uma sensibilidade apurada em contemplar a natureza e os pequenos acontecimentos do cotidiano como veio poético, como em "Cigarra": Farpas de Canto/Na Estaca da Cerca, que indica a relação do poeta com o mundo e o canto, que fere e interfere em sua percepção estético-existencial.
Máximas mínimas, cheias de anfibologias e metáforas inusitadas, ironia leve, à moda Zen, lirismo sintético e contido são as marcas estilísticas de Último Round. Que o leitor/internauta mergulhe, pois, no universo poético rogeriano, como se mergulha no mar revolto ou no rio tranqüilo da vida, para tirar as suas próprias conclusões. Eis, pois, o Round decisivo da luta boxeana que é vida, com o melhor do poeta.

ENTREVISTA

Elias Paz e Silva: - Como nasce o poema em você ou qual o seu processo criativo?

Rogério Newton: - Em relação à crônica, gosto de dizer: escrever é puxar o fio do novelo. O texto já está no fio à espera de ser tecido. A aranha tece puxando o fio da teia. O código já tá nela. O poema nasce com o mesmo mistério que há nas coisas criadas. Mas de quem é a autoria? Do poeta ou da Criação? Seja como for, precisa da ação do poeta, então ele é co-autor, isso é lindo, cara! Fazer poemas é encostar o dedo na corrente elétrica. A voltagem não mata. Ressuscita.

EPS: - Fazer poesia, ou melhor, escrever, te deixa feliz?

RN: - Acho melhor o verbo fazer. Poeta faz. Quem escreve são escribas. Quando faço poemas, fica escrito na minha testa: feliz (a giz, obviamente).

EPS: - O primeiro livro de poemas aos 44 anos, o que é isso: rigor asceta, “ímpar ciência”, controle de qualidade ou escassez de produção?

RN: - É lerdeza mesmo.

EPS: - Até que ponto Oswald de Andrade (você tem um filho com o nome do filho dele: Rudá) Manoel Bandeira, os Concretos, Ezra Pound, a Geração Mimeógrafo, te influenciaram na concepção técnica e estética dos poemas e são seus referenciais?

RN: - Eu tenho um filho ou um filho me tem? Os poetas que você cita me influenciaram, sim. Oswald, pela renovação e iconoclastia; Bandeira, porque é impossível não amá-lo; os Concretos, por fazerem poesia sem verso e por realizarem aquilo que José Paulo Paz afirmou: poesia é uma brincadeira com as palavras. Pound, pelas reflexões do ABC da Literatura. Agora, geração mimeógrafo não é um nome adequado. Prefiro Geração Pós-69, da qual faço parte, e me sinto bem por isso. Geração não é facção.

EPS: - Essa “leveza zen irreverente” que dá substrato filosófico à sua arte poética é uma postura existencial do homem Rogério Newton?

RN: - É porque eu sou assim mesmo. Faço poemas por impulso de vida.

EPS: - Cronista (com dois belíssimos livros publicados), poeta, professor de yoga, com qual deles o cidadão Rogério Newton (defensor público) e pai de família, convive melhor?

RN: - Tenho dificuldades em ser pai de família e em ser defensor público. Não sei se sei ser um bom cidadão. Sócrates afirmou que o cidadão é o cadáver do homem. Isso é radical e é verdade. Me sinto melhor em conduzir práticas de yoga e em ser poeta. Gosto também de andar sem compromisso, como Thoreau.

EPS: - Lutar com palavras é a luta mais vã? Ou a transformação revolucionária individual e social pode ser capitaneada pela Literatura? Ou preferes a “quietude de tudo”, numa postura rebelde e religiosa em relação à vida?

RN: - Lutar com palavras é a luta mais vã porque há algo mais forte que elas. Só o amor é revolucionário, nada mais. Se você fizer literatura com amor, ela será revolucionária. O camponês anônimo que semeia a terra com amor no sertão esquecido está fazendo revolução, sem disparar um tiro. Mas a mesma mão que toca o violão, se for preciso, vai à guerra. A vida dança em todas as direções. Muitas vezes prefiro a quietude porque sou inquieto.

EPS: - Como encarar o ofício de escritor em terras Piauís, com a segunda maior taxa de analfabetismo da Nação Brasileira?

RN: - Impossível escrever um poema a essa altura da evolução da humanidade. O analfabetismo é motivo para se escrever mais e mais. Acho que o escritor e toda pessoa devem participar politicamente. Não quero dizer que é preciso entrar num partido. É ridículo uns terem acesso ao código da leitura e outros não. Mas se o escritor ou o poeta ficarem só fazendo linguagem, sem uma participação política explícita, isso também é uma forma de ação. O ato puro e simples de criar já cria uma onda...

EPS: - Relacione dez poetas de sua preferência, em todo o planeta, que formam o “paideuma” da literatura universal.

RN: - Laranjas valem mais do que limões?
Dores de dentes doem mais que beliscões?
Shakespeare é melhor do que Camões?

EPS: - Religião e filosofia rimam com poesia?

RN: - Rima com tudo. Introduzo na poesia a palavra diarréia.

EPS: - Atualmente, como você vê a produção literária de expressão piauiense?

RN: - Ando meio desligado. Mas procuro ver (não é a mesma coisa que ler) a produção e a expressão. Ainda acho que produzimos pouca literatura. Podemos fazer muito mais. Nesta semana foram lançados três livros de autores piauienses. Fico feliz quando o autor publica seu livro. Da quantidade também se faz a qualidade. Distingo lite-ratos à distância.

EPS: - O poema que é seu filho predileto. Escreva-o de cor e salteado.

RN: - Ai que preguiça!

EPS: - Pra você, a poesia resolve, revolve e tem utilidade pessoal e social?

RN: - Quem tem utilidade é bom-bril.


EPS: - Oeiras, sua Macondo-Jerusalém, está presente em toda a sua produção literária, por que?

RN: - Porque está presente em mim. Não falaria de outro lugar que conheço tão bem.

EPS: - Escreva o que você quiser ou algo que o está inquietando há muito e precisa vir a público.

RN: - Eu quero dizer agora o oposto do que eu disse antes.




Poemas de Rogério Newton ( “copyright” do Autor )


poética


aqui acolá
um verso um texto
mas olhe
não sou bissexto
sou campeão de poemas ao cesto



. . .



te preocupa não amor
aqueles tempos não voltam mais
só os catadores de pulgas gramaticais

. . .

com puta dor
escrevo prazer
na máquina de
escrever

. . .

as cidades deviam ser
sempre pequeninas
como tuas mãos
nas minhas

. . .

o trem barulha
poeira carnaubal
lagoa menino
cavalheiros de outra classe
visitam teu vagão

. . .

interpelação ao morro do leme


morro de dorso negro
incrustado de macambiras
por que não te iras?

. . .

um apito na madrugada
não é nada
é o vigia

. . .

sinal
vermelho
chicletes
olhar
giletes

. . .

não te queixes
pássaros têm signo
de peixes

. . .

velho jardim
gotas de orvalho
na folha da taioba

. . .

cigarra


farpas de canto
na estaca da cerca

. . .

vagalume
na escuridão
me ascende

. . .

o vento age
na folhagem

. . .

enésima potenciação


sou um
homem sincero
elevado
a
zero

. . .

não vos inquieteis
sou mais moderno
que meu avô português

compartilhe

comentrios feed

+ comentar
Cintia Thome
 

Estou pasma com seus textos por aqui
como ando ocupada tenho lido, mas sem comentarios
Mas pérolas boas caro ermano.

abs

Cintia Thome · São Paulo, SP 18/1/2010 11:12
sua opinio: subir
Greyce Kelly Cruz
 

deua té vontade de ler...

Greyce Kelly Cruz · São Luís, MA 18/1/2010 12:34
sua opinio: subir
jessebarbosadeoliveira82
 

encantei-me pelo perfume telúrico que exala a poesia dele.

jessebarbosadeoliveira82 · Salvador, BA 18/1/2010 12:54
sua opinio: subir
Doroni Hilgenberg
 

Esses poemetos são fragmentos da vida

vale a pena ler o livro
bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 18/1/2010 18:55
sua opinio: subir
Juscelino Mendes
 

Parabens, Elias! Abs.

Juscelino Mendes · Campinas, SP 18/1/2010 19:40
sua opinio: subir
Poeta Devany
 

Gostei, Elias. Legal mesmo.

Poeta Devany · São Paulo, SP 18/1/2010 19:45
sua opinio: subir
azuirfilho
 

Elias Paz e Silva · Teresina (PI) ·
Último Round: Máxima poética, mínimas palavras

Um Poeta Merecedor e um Admirável Trabalho de divulkgação de outro poeta sem igual que tanto orgulha a gente no Overmundo.
Um Digno Filho do nosso Adorado Piaui.
Todo Louvor ao poeta piauiense Rogério Newton, toda Satisfação de ser Companheiro do Mestre Elias Paz e Silva · Teresina (PI) .
Um Trabalho de Grande Valorização, nos fazendo cada vez mais ter orgulho do nosso Overmundo, e de nossos mestres Companheiros.
Obrigado irmão Poeta.
Abração Amigo a todos.

azuirfilho · Campinas, SP 19/1/2010 11:19
sua opinio: subir
graça grauna
 

não te queixes
pássaros têm signo
de peixes

quando a literatura e filosofia andam juntas ampliamos a nossa vontade de estar no mundo. Parabens ao entrevistado e ao entrevistador. Bjos.

graça grauna · Recife, PE 19/1/2010 12:48
sua opinio: subir
Edegar Biacchi
 

Temos o prazer de convidá-lo para a noite da Coroação Especial, sexta-feira dia 22/01/2010 do Edegar Biacchi, o Mister de (São Gonçalo) Pingo d'agua e Mister Niterói, Mister Região dos Lagos e Oceanicas 4 lugar no RJ... junto com a Ariane Dibo, Miss Rios das Ostras 2010
"A nova coroação Mister e Miss" da escola de samba G.R.E.S Mocidade Independente de Icarái NITEREÓI 2010 tricampeã do Carnaval de Niterói, que este ano estará contando a história de Niterói com varias celebridades...

Enredo: NICTERÓY, A MOCIDADE CONTA SUA ODISSÉIA NO TEMPO

Local.: CHARITAS AERO CLUBE - Rua Quintino Bocaiúva, nº 463 – Charitas., ônibus: 709, 730, 62 e 33



Diante do exposto, para abrilhantar mais o evento em pauta, esse convite é estendido a Sr. Jorginho do Império para participar dessa calorosa Coroação.


Inicialmente, apresento-lhe os nossos antecipados agradecimentos, pela certeza da sua presença, em mais uma etapa a ser vencida com as atividades do Carnaval de 2010 Sem mais para o momento, desde já me coloco ao seu inteiro dispor para qualquer esclarecimento que se faça necessário e nesta deixo meus sinceros agradecimentos externado protestos de elevada estima, consideração e apreço.

Resd. 21 2612-0439 – Geraldo e Kátia
Cel.: 21 9652- 1907 – Geraldo
Cel.: 21 9641-4205 - Kátia


Edegar Biacchi · Niterói, RJ 19/1/2010 16:42
1 pessoa achou til · sua opinio: subir
Jairo de Salinas
 

Grande Elias!
Valeu, companheiro. Belo trabalho!

Jairo de Salinas · Salinas da Margarida, BA 20/1/2010 16:36
sua opinio: subir
wel alves
 

Parabéns!!

wel alves · Linhares, ES 21/1/2010 00:27
sua opinio: subir
Orisvaldo Tanniy
 

Adorei! Belíssimo postado.Votado.Abraço amigo!

Orisvaldo Tanniy · Teresina, PI 21/1/2010 08:56
sua opinio: subir
Raiblue
 

Vontade de devorá-lo!!!hehe...
Parabéns,Elias, pelo belo parto!

Sorte!
beijokitas
Blue

Raiblue · Salvador, BA 21/1/2010 14:28
sua opinio: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faa primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Voc conhece a Revista Overmundo? Baixe j no seu iPad ou em formato PDF -- grtis!

+conhea agora

overmixter

feed

No Overmixter voc encontra samples, vocais e remixes em licenas livres. Confira os mais votados, ou envie seu prprio remix!

+conhea o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados