Um Jardim de Talentos

Zezito de Oliveira
Grupo de Dança Ecarte, formação de 2004
1
Zezito de Oliveira · Aracaju, SE
26/2/2007 · 126 · 8
 

Quem conhece os adolescentes e jovens do Conjunto Jardim, apesar do destaque dado pela imprensa ao envolvimento de alguns deles com assaltos e tráfico de drogas, sabe que a maioria gosta de dançar, fazer teatro, cantar e tocar algum instrumento musical.

Infelizmente, por encontrar poucos líderes e gestores sensíveis e conscientes da importância das ações artísticas e culturais, grande parte desiste e fica impossibilitada de ocupar o seu tempo livre com atividades voltadas para o próprio crescimento humano e social, comprovando o que disse o ministro o Ministro Gilberto Gil em discurso na câmara dos deputados no ano de 2004: “(...)Há muitas iniciativas culturais que nascem, e na maior parte das vezes morrem, nas periferias e no interior do nosso país, sem que o Brasil possa se dar conta de quanto talento é capaz o seu povo..”

Para evitar isso, atuando através do apoio e do estímulo às iniciativas culturais da “galera” foi criado, em 2002 (suspenso no final de 2004 e retomado no segundo semestre de 2006), o Projeto Ecarte (Educando com arte), fruto da parceria da ong Ação Cultural, Igreja Católica e Colégio Leão Magno, cujo objetivo é trazer profissionais para melhorar a qualidade artística dos trabalhos e divulgá-los através de mostras, festivais, vídeo-documentário, artigos e reportagens na mídia.

No ano de 2006 o projeto contou inicialmente com 70 adolescentes/jovens inscritos nas oficinas de teatro e dança mirim e juvenil, que foram acompanhadas respectivamente pelos instrutores Lázaro, Denisson, Welma e Cristiane.

O motivo principal que levou esses jovens a se inscreverem nas oficinas foi a necessidade de se quebrar a rotina, ajudar a perder o medo e a timidez, fazer novos amigos, conhecer outras pessoas e lugares.

Em termos de dificuldades, no caso do teatro, foi percebido que a maioria encontrou problemas em exercícios de improvisação, conforme relatou o instrutor Denisson. Segundo ele, mesmo mostrando bom desempenho nos exercícios dirigidos, na hora de contar histórias ou de improvisar cenas livres muitos deles se perdiam na hora de criar, mostrando excessiva dependência de um texto escrito ou da orientação de outro (a) para lhe dizer o que fazer.

No caso da dança, o problema são os modelos impostos através da cultura de massa. Por esse motivo a oficina de dança juvenil teve que ser suspensa porque não conseguiu ampliar a quantidade de inscritos devido à dificuldade de se assimilar a proposta de dança contemporânea que se apóia na improvisação, na consciência corporal, na dança popular, na dança de rua, na própria dança clássica, entre outros elementos, para sua expressividade.

Mesmo assim conseguimos chegar ao final e participar da II Mostra Arte e Cidadania, em 13 de janeiro, no Teatro Lourival Batista. A maioria dos que foram representando o Projeto Ecarte nunca tinha ido ao teatro e, segundo os membros do grupo Pop Dance e da Oficina de Teatro Mirim, apesar de terem ficado nervosos com a grande quantidade de pessoas, sentiram-se como gente famosa, como verdadeiras “flores”. Além disso, foram bem tratados pelos organizadores e por dançarinos e atores de outros grupos, recebendo elogios por causa de sua performance.

Como assessor pedagógico do Projeto Ecarte, constatei que os cinco meses de retomada dos trabalhos foram insuficientes para ajudar a diminuir ou reverter os problemas apontados pelo instrutor Denisson e pela instrutora Cristiane. Esses problemas são bastante semelhantes aos desafios apresentados no I Fórum Popular de Cultura, realizado em 2005 e que, entre outras sugestões, apontou a necessidade de ampliar o trabalho de conscientização da juventude na perspectiva de valorização da arte popular e de produzir com qualidade fortalecendo a identidade cultural de nosso povo para atingir uma população cuja mente está massificada pela cultura de consumo imediato (a pasteurização cultural).

Com a mudança de governo a expectativa de todos(as) que tomaram parte nas oficinas é de que mais recursos (financeiros, materiais e humanos) possam ser destinados para o projeto nos próximos anos, a fim de não comprometer os avanços e possibilitar a superação dos desafios e a ampliação da quantidade das pessoas beneficiadas.

Nessa perspectiva, propomos que as escolas da região façam um consórcio e destinem, cada uma, certa quantia em dinheiro, para que o projeto possa ter uma abrangência maior, e contrate profissionais da área artística bem qualificados. Quanto ao acompanhamento pedagógico, que também é primordial, as escolas podem liberar professores das salas de aula, de forma parcial ou integral, para se dedicarem à proposta, desde que tenham experiências em iniciativas artístico/culturais em escolas e/ou comunidades.

P.S.: O jornal Cinform, na edição 1198 de 27/03 a 02 de abril de 2006, publicou uma matéria intitulada "Conjunto Jardim tem violência que só perde para a Terra Dura" e publicou um box com as seguintes informações:
População: 15.725 habitantes; Local: a 10 quilometros da capital, pertence ao municipio de N. Sra. do Socorro, e faz parte da Grande Aracaju.
Segundo bairro nas estatisticas de homicidios (15 em 2005).
Ocorrência de muitos roubos a ônibus, tráfico de drogas, arrombamentos a residências e homicidios.
O padre Givanildo que é pároco e da comunidade, na mesma reportagem afirma: "Sempre há os que, por ociosidade ou falta de esperança, partem para a criminalidade, principalmente a juventude, que tem poucas perspectivas por aqui" (...)"Nossos jovens precisam de projetos educativos, que tragam esporte, cultura, aprendizagem profissional e lazer."

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Marcos Carvalho
 

Zezito parabens pela materia estamos juntos nessa

Marcos Carvalho · Aracaju, SE 26/2/2007 13:33
3 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
JP - João Paulo
 

Esperamos todos os novos ares da política sergipana se transfigurem em maior incentivo a iniciativas tão importantes como essa.
Parabéns !!!

JP - João Paulo · Recife, PE 26/2/2007 16:26
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Zezito de Oliveira
 

Obrigado! Marcos e João Paulo pela força.
Como nos disse, Reginaldo Veloso , um mestre espiritual e artista
lá do Morro da Conceição em Recife.
"Tudo pela pedagogia da arte e do afeto."
Abraços,

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 26/2/2007 18:28
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Zezito de Oliveira
 

O discurso do Ministro Gilberto Gil da qual retirei a expressão grifada tem o seguinte titulo:
"Pronunciamento do ministro Gilberto Gil na Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Câmara dos Deputados"
Para achá-lo na página www.cultura.gov.br
e localizá-lo vocês podem procurar através da palavra "refavela".
Ainda bem que as boas intenções sairam do papel através, entre outros, do programa cultura viva.
Entretanto, como escrevemos no texto "Outro Brasil? Somente com participação e arte" publicado aqui mesmo no overmundo, se faz necessário ampliar o orçamento do programa, inclusive com a participação dos estados e municipios, diminuir a burocracia e evitar contingenciamento.
Do contrário as lágrimas das autoridades, por causa da morte de meninos (as) como no caso de João Hélio, ficarão parecendo lágrimas de cocrodilo ou cenas da novela Páginas da Vida.

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 26/2/2007 18:50
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
petrylegal
 

Olá zezito gostei do contexto, nós sómos da periferia e é na
periferia que a arte e a cultura sobrevive e vençe barreiras
mais e preciso lutar mais e querer mais.
um abraço.
petrylegal "parabens "

petrylegal · Aracaju, SE 6/3/2007 14:27
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
mariana varzea
 

Parabéns para vc tb! Vamos começar um movimento aqui no Overmundo? Tipo uma lista de 10 intersecções entre educação e cultura que precisam ser levadas em conta por ambos ministérios?
abs, MV

mariana varzea · Rio de Janeiro, RJ 26/3/2007 19:27
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Zezito de Oliveira
 

Aprovado. Posteriormente entrarei em contato via e-mail para continuarmos o diálogo e quem sabe até... produzir texto e propostas em conjunto.

Abraços

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 27/3/2007 10:46
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
BAHIANO
 

GALERA ESTOU PRECISANDO DE AJUDA!MEU NOME É CLOVIS MORRO EM LAURO DE FREITAS LITORAL NORTE DA BAHIA.EU TENHO 2 TIAS QUE MORAM NO CONJ. JARDIM MUNICIPIO DE NOSSA SENHORA DO SOCORRO/SE.O NOME DELAS SÃO:JOANINHA QUE MORA ENFRETE AO COLEGIO LEÃO MAGNO E A OUTRA SE CHAMA ZEFINHA QUE MORA NA RUA L NO CONJ.JARDIM 1.SE ALGUEM CONHECE ESTAS PESSOAS OU SE PUDER ME DIZER SE AINDAM MORAM NO MESMO LUGAR EU AGRADEÇO.POIS JA FAZ 12 ANOS QUE NAO HA VEJO.EU TBEM TENHO ALGUNS AMIGOS QUE MORAM AI MAIS NAO TENHO COMO ENTRAR EM CONTATOS COM ELES.TALVEZ VCS POSSAM CONHECE-LOS.VOU CITAR ALGUNS NOMES.( CARLINHOS QUE É IRMÃO DE CARLA QUE TEM 1 GRUPO DE DANÇA,ELES TBEM MMORAM NA RUA L.)ESPERO QUE VCS POSSAM ME AJUDAR. MEU NUMERO PARA CONTATO É (71)81041102 OU PELO EMAIL:GUALBERTO90@HOTMAIL.COM

BAHIANO · Lauro de Freitas, BA 8/7/2011 19:36
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

igreja católica do conjunto Jardim e praça, 2004 zoom
igreja católica do conjunto Jardim e praça, 2004
Meninas da oficina de dança mirim, 2006 zoom
Meninas da oficina de dança mirim, 2006
Vista panorâmica do conjunto Jardim, 2006 zoom
Vista panorâmica do conjunto Jardim, 2006
Grupo Pop Dance, formação do ano de 2005 zoom
Grupo Pop Dance, formação do ano de 2005

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados