Uma coisa ou outra

1
Letícia Barroso · Campos dos Goytacazes, RJ
17/3/2014 · 1 · 3
 

Tenho me recusado a escrever ultimamente, isso é extremamente ruim, especialmente para uma recém-formada em Jornalismo.

Hoje, porém, durante uma das mais comuns situações da minha vida, a vontade de escrever tomou conta do meu pensamento e do meu coração.

Durante toda a minha vida, fui condicionada, por mim mesma, e pelas minhas “auto cobranças”, a crescer, estudar, estudar, estudar, trabalhar e ter uma carreira de sucesso, sempre pensando em ser jornalista.

Casamento? Nunca esteve nos meus planos. Filhos?
Talvez, aliás, sim, com toda certeza, sempre quis ter muitos filhos, tipo família antiga, sabe? E claro, poderia adotá-los e com o alto salário que receberia, criaria todos eles.
Mas exatamente, neste dia, entre os muitos e muitos acontecimentos recentes, uma mudança em tudo que eu sempre acreditei veio a tona.

Eu, feminista, mulher que gosta de trabalhar, de lutar pelos mesmos direitos dos homens, de honrar aquelas que há anos atrás queimaram seus sutiãs por mim para que eu pudesse fazer tudo o que eu faço e amo hoje, fui surpreendida por um pensamento.

Será que o meu papel não seria cuidar dos meus filhos? Só isso? Será que não seria feliz apenas fazendo isso?

Eu sei, é possível ser os dois, mãe e
profissional, tanta gente não faz isso?

Mas, hoje, como disse, especificamente, hoje, vi sorrisos estampados em rostos de diversas mulheres que são mães, apenas mães. Elas estão felizes, sem trabalho. Felizes apenas com seus filhos, suas crianças e seu marido.

Não sei se me tornei um pouco mais sentimental que o usual, ou se meu instinto materno e de dona do lar, surgiu após todos esses anos. Não sei, simplesmente não sei.

E, termino assim, com essa dúvida. Talvez esse texto tenha sido confuso, ele não passou por edição, não reli, apenas transcrevi o que pensei.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Doroni Hilgenberg
 

não é confuso não. o tempo passa e nos devolve a razão. eu sempre quis ser alguém importante, mas hoje sei que fui mais importante sendo mãe e educando meus 5 filhos. Já sou avó e me sinto realizada. bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 17/3/2014 21:33
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Teu texto é uma síntese de pensamentos soltos. Mas pensamentos soltos, juntos organizam pensamentos livres.

O local ideal do teu texto seria o banco de cultura.

Higor Assis · São Paulo, SP 18/3/2014 11:53
sua opinião: subir
Letícia Barroso
 

Oi Doroni!
Obrigada pelo seu comentário, é exatamente isso, na minha família tenho vários exemplos de mulheres fortes, minha mãe, era professora trabalhava todos os dias o dia todo e conseguiu criar duas filhas com maestria.

Higor,
obrigada pelo comentário, que recebi como um elogio (rs) e pela indicação, foi minha primeira postagem e fiquei um pouco perdida com as áreas do site.

Letícia Barroso · Campos dos Goytacazes, RJ 19/3/2014 15:43
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados