Editorial: Um sábado para o Aumente o Volume

1
Dewis Caldas · Cuiabá, MT
1/2/2007 · 93 · 1
 

cobertura completa no www.hellcity.blogger.com.br

Depois de algumas reuniões, últimos acertos e últimas correrias. Materializamos uma idéia!! Começa o primeiro evento dos Voluntários da Musica, de longe, víamos todas as equipes se esforçando, assumindo sua responsabilidade, construindo os detalhes para a realização de um bom acontecimento. À tarde, houve uma reunião, cada comissão separadamente, sobre como seria o "plano-de-guerra" para o Aumente o Volume, cada um tentando ser o mais democrático possível. A comissão de Sonorização preparou todo o palco, assim como a instrumentoteca, juntou os representantes das bandas e fez o sorteio da ordem de apresentação, modelo mais democrático encontrado. A comissão de Distribuição fez todo o mapeamento nessas duas semanas nessas duas semanas que antecediam o evento, encontrando Cd's, Ep's e livros, montando uma significativa banquinha bem na entrada das salas, fazendo sorteios de Cd's no palco, e ainda vendendo uma coletânea que, vamos dizer, foi uma das sensações lá no Misc. Vendendo musicas das bandas que tocavam no dia. A comissão de Produção de Eventos acertou todos os detalhes, como programar o Misc para o dia, a cerveja acabou algumas vezes, por conta do incrível aumento de publico (que somaram mais de 400 pessoas), mas sempre que acabava, tinha um carro específico só para comprar mais cervejas, o bar não ficou mais que 7 minutos sem cerveja. O pessoal da Próxima Cena, uma das vertentes do Instituto Espaço Cubo, parceiro da Volume, gravou o show de todas as bandas, e ainda fez um enlace de entrevistas, todas as bandas foram entrevistadas após o show, o material completo será editado e logo será disponibilizado na Net. Você verá aqui no HellCity!! Na sala de projeção, houve apresentações de vídeos e clipes de bandas locais, ainda houve algumas reprises, respondendo aos pedidos dos participantes. A comissão de Comunicação foi formadas por 12 repórteres e 3 fotógrafos, todos atentos ao que acontecia, fazendo entrevistas com todas as bandas, produtores, pessoas que acompanhavam o show. Na sala de imprensa, via-se a movimentação, tudo isso pra fazer a cobertura ao vivo das bandas. Além do que acontecia ao redor. Uma hora dessas, quando desci pra ver o show do Lord Crossroad, chego perto do Eduardo Ferreira, do Caximir, e digo: Iai?... Isso ta muito louco, isso que é Rock 'n' Roll, ele gritava entusiasmado.

Agora é só esperar o Aumente o Volume 2, com o mesmo esquema de show, várias bandas e tudo mais. Abraços e até...

:::posted by Hell City Blogger at 3:09 PM

Domingo, Janeiro 28, 2007
Lord Crossroad
Enfim Rock!
por Thiago Dezan

Estou no meu segundo show do Lord Crossroad e a cada musica que escuto me surpreendo e fico feliz por saber que ainda existem bandas que fazem som de verdade, como nos velhos tempos, e honram a cena independente, coisa que se tornou muito rara por causa da emopidemia que corre solta pelo mundo afora...

As grandes potencias do mundo já declararam estado de calamidade publica e salve-se quem puder, médicos especialistas da área indicam fones de ouvido e mp3 com todas musicas do Led Zeppeling, banda que é a maior influencia do Lord.

Acho que o público com mais de 14 anos e sem olhos pintados concorda comigo.
Tenho que terminar essa nota agora para assistir ao fim do show do Lord Crossroad.

Banda Extrauma
Por Odair

Influenciadas por bandas como AC/DC e Guns 'n' Roses, a banda Extrauma demonstrou muita segurança, calma e técnica em palco. O nome Extrauma surgiu de uma analogia ao Hospital Sotrauma, onde ocorreram as primeiras reuniões da banda. O público que assistiu à banda ao vivo gostou muito do que viu e do que ouviu, gritando enquanto a banda tocava, isso foi que deu mais segurança e firmeza no palco, disse o guitarrista Dartanhan. Na última música a banda mistura: Baião com o Rock e uma letra recheada de metáforas, o que fechou bem o show.

Lazzy Moon
Por Dewis Caldas

Antes da banda entrar, alguns olhares pra saber o que "essas garotas" estão querendo fazer. Quando começa, não se percebe uma estranheza, e sim um publico que ficou ligado, mesmo os mais "machões", que estavam com os braços cruzados, batiam o pé pra acompanhar a batera, que era executada com empolgação. A apresentação ia se seguindo, os olhares aumentavam, segundo Issaf, vocalista e baixista, o show foi bom, tivemos algumas alegrias, "foi legal ver o pessoal interessado em sacar o som", ressaltou. Ao final, ainda rolou um cupido, ou melhor, Oh! Cupido vê se me deixa em paz!! A galera aceitou, cantando junto.

Claudia's Parachute
Por Priscila Kerche

A banda utilizou-se do som "bem-tocado" para levar ao conhecimento do público uma música nova. Se sentira em casa - onde, aliás, o palco se torna pequeno demais - chamando para visita o guitar-hero Bruno Kayapy para tocar a promessa de "quase principal"; e Hélio Flanders, para o cover de Outlaw Blues (Bob Dylan).
O vocalista dos vangs ainda aproveitou o poder de ficar sozinho no palco e ainda assim sustentar o público de uma banda completa para mandar "Semáforo" à la guitarra-e-voz.
No vocabulário do caludia's Gabriel: Uma diliça!.

Pleyades
Por Alfa Canhetti

A apresentação de Pleyades foi muito agradável. A banda ta bem ensaiada, riffs originais e a junção daquele som pesado com o vocal melancólico foi aprovado pelo público. Teve até um desabafo do Bruno(vocal) sobre o aumento da tarifa do transporte público "Se aumentar pra 2,05 a gente pula catraca sim. Foda-se empresários"
O som dos caras é considerado por eles como "filosofia da vida" e "ruídos"
A banda acabou de gravar CD e estão finalizando a agenda desse primeiro semestre "agora a gente tem que se apresentar e divulgar nosso trabalho".

Eles se apresentaram no Grito Rock no primeiro dia, 17/02(sabado) às 1:50.

Quer conhecer mais sobre Pleyades?
Entre na comunidade "Pleyades"
ou no fotolog: www.fotolog.net/pley_ades

Chilli Mostarda
Por Jaqueline Pereira

Com som incisivo e altas performances, a banda composta por Chabô no vocal, Frog na batera, Mayconn , guitarra, Capilé guitarra, Pink baixo, efervesceram a galera no Misc, que no momento já tinha um público de aproximadamente 300 pessoas.

Capilé de produtor à guitarrista declarou: "Uma das melhores noites de Cuiabá da minha vida, e eu nem sou da Volume, mas quem falar mal, eu vou dar na cara, foi lindo!" - disse
A banda pretende lançar um EP, com 8 músicas antes de ir para Sampa, no dia 15/02, onde tocarão Grito Rock Jaú, tocam na capital e em Mogi das Cruzes.
A banda declara que Cuiabá precisava de um movimento que reunisse um número grande de bandas. A nova formação do Chilli mostarda existe há um ano. A banda esteve na capa do Overmundo, pela segunda vez - (Músicas polêmicas)
Maiores informações da banda: www.chillimostarda.com.br

Orpheus
por Ney Hugo

Ainda em seus primeiros shows, a Orpheus é uma das bandas novas da capital. Tendo feito seu primeiro show nas Prévias do Festival Calango no ano passado, a banda veio realizando uma série de pequenas apresentações em escolas da rede pública da cidade. Hoje no MISC, a banda mostrou mais um pouco de seu pop rock, conseqüência das influencias oitentistas (Legião Urbana, traduzindo). Mais bacana ainda nessa história é que a banda já vem na perspectiva direta da Volume. Segundo o guitarrista Jair Miau, que participa da comissão de sonorização, "participar da Volume significa ter consciência de não ficar esperando pelos outros. É ir lá e fazer!"

Alguém discorda?

Audiovisual entrando em cena!
Por Thiago Dezan

Tão rolando ainda várias intervenções, como entrevistas com músicos, cobertura de shows para produção de democlipes e mostra de vídeos, que por sinal superou as expectativas e teve grande sucesso de publico, a empolgação era tamanha que os melhores curtas-metragens foram reprisados. Os filmes estão por conta da Próxima Cena, que é o núcleo de audiovisual do Espaço Cubo, formado por estudantes da UFMT, membros do Cubo e jovens com muita, mas muita força de vontade e criatividade. Espero estar certo a respeito dos meus comentários e que o publico tenho continuado na sala de projeções pelos vídeos e não pelo ar condicionado!

ACABOU DE SAIR O VOLUME 1!
por Talyta Singer

Acabou de sair o primeiro zine da Comissão de Comunicação! Aliás, saiu e já acabou. Aí embaixo você confere o resultado do escrever-cortar-colar-xerocar que a equipe na tarde de hoje:

SNORKS
Por Kleber

Com um som cada vez mais definido a Snorks vem roubando a atenção do público punk rock de Cuiabá para os palcos em que toca, com uma harmonia agressiva contrastando com vocais melódicos a banda chama atenção não só do publico punk, mas de todos os outros presentes no platéia.
Poucos meses na estrada, e já mostram um som definido que falta em bandas com muito mais "experiência" que os garotos, mais experiência só se for de estrada é claro, pois com o trabalho que a banda realiza na Volume, nas áreas de comunicação e sonorização, eles vêem se capacitando para uma autogestão.

Entrevista

Kleber: O que vocês vêem de mudanças com a implantação da volume na cena?
Felipe - A volume na minha opinião foi um dos melhores movimentos que eu vi no cenário rock, é onde não existe uma concorrência com as bandas, é a primeira vez que vejo um coletivo de bandas se unindo para um maior conforto e beneficio de todas.

Kleber: O que acharam do evento?
Felipe - O evento foi ótimo, com casa cheia, mas fez falta uns retornos de voz no palco, mas a organização foi perfeita e saiu tudo como no planejado.

AOXIN
Por Issaaf Karhawi

O bom da Aoxin é que os caras fazem um som pop, não pop ruim, pop de popular mesmo. Além de terem a idade dos fãs, os puxam pro show até com palminhas sincronizadas.
O som é pesado e além dos integrantes (que são muitos!) irem de um lado pro outro, de cima e pra baixo, compulsivamente, vão pratos e palhetas juntos!
Destaque pros dois frontmen e o público histérico e 90% feminino!
E vale ressaltar o óbvio, a Aoxin é também uma banda da VOLUME que afirmaram que a idéia já rola no underground mas não da forma organizada e unida que vem sendo concretizada pelos voluntários da música. Eles ainda ressaltaram que o evento foi bem organizado e mesmo com tantas bandas não rolou bagunça e desordem, faltou, reclamaram, mais tempo pra apresentação.

LICOTYPE
Por Gustavo ZaZu

Para os integrantes da banda o nome surgiu da falta de idéias e opções. A principio o nome era um nome provisório e ao passar do tempo se tornou o nome definitivo da banda.

Cada integrante tem uma influência diferente e essa mistura de gostos musicais dá a origem ao som forte e agressivo de Licotype.
Para banda o show em geral foi bom, mas eles esperam melhorar a cada apresentação.
Na opinião do publico a banda não deixou a desejar nos aspectos de presença de palco e instrumental. Nas musicas tocadas, a que mais chamou atenção foi a ultima, que tem como nome VIDA ENFIM, levada pela grande influencia de bandas como FRANZ FERDINAND.

Banda Rhox além do Volume
Por Sika

A Rhox, que em abril estará fazendo dois anos de estrada, foi a primeira banda no Aumente o Volume, tocando cinco músicas, sendo que 2 são inéditas mas sem nomes "Eu geralmente nunca coloco nomes nas minhas músicas, e quando a música tem nome, na maioria das vezes esqueço", comenta o esquecido vocalista André Luis.
Os caras, que mostraram total "Tempestade destruidora" no evento, acham que a experiência de fazer parte da Volume é muito significativa em prol da cultura mato-grossense, que julgam estar carente, mas que colaboram o máximo para que isso se reverta.

Começa o Aumente o Volume!!
Por Dewis Caldas

O primeiro evento dos Voluntários da Música, apresentando 11 bandas de Cuiabá, das mais distintas influências. Tudo já está pronto aqui no MISC (Voluntários da Pátria, nº 57). Além das bandas estamos mostrando toda o corpo da Volume, como a sala de distribuição, que vende os produtos das bandas da Volume, a equipe de sonorização, com toda a estrutura de palco. A produção de eventos se atendo à toda infraestrutura, e a comunicação, que estará lançando notas simultâneas de todas as bandas que tocarem.
Então vamos lá.
Ingresso: R$2,05.


Cobertura completa no www.hellcity.blogger.com.br

compartilhe

comentários feed

+ comentar
telerama
 

sério, cê acha mesmo? fortaleza ainda tá longe de qualquer organização, estruturação ou união de cena. mas que bom que a imagem que tá chegando por aí é essa! a gente trabalha pra isso. ^^

alinne.

telerama · Fortaleza, CE 14/2/2007 15:37
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados