Um dedo de Prosa Têxtil com Rossana Cilento

Rossana Cilento
Têxtil
1
Alex èrza · São Paulo, SP
5/2/2011 · 5 · 1
 

Um dedo de prosa Peixesempeixes com
Rossana Cilento

1. Rossana, você cria acessórios têxteis com foco no mercado de moda e decoração; como é seu processo criativo no fazer tapeçaria ou manufaturar moda?

Quando trabalhamos com criação, respiramos criação, (inspiramos e expiramos) todos os nossos sentidos se direcionam para isso, tudo que ouvimos, olhamos, sentimos se transformará no momento propício em algo. No meu caso, em algo têxtil!
Meu processo criativo, em tapeçaria, moda, decoração, qualquer assunto, inicia-se com um projeto, uma idéia no papel.
Depois faço a pesquisa relacionada ao objetivo proposto, materiais, cores, preço de mercado, enfim tudo o que envolve o produto. Seja moda ou decoração.
A criatividade vai brotando, ela é resultado de foco, disciplina e de dedicação diária ao trabalho. Amadureço cada idéia, deixo a idéia "falar" em mim, como se fosse uma conversa mesmo.
A técnica me dá o alicerce, a imaginação me dá a ferramenta necessária para concretizar o plano inicial.O resultado, como vivencio, é consequência do trabalho, da transpiração como se diz, da energia ali depositada, energia de tudo e de todos envolvidos no processo.
Uma mente criativa é uma grande aliada, que auxilia em todas as circunstâncias da vida pratica, mas precisa ser alimentada!

2. Você iniciou seu trabalho com tear manual em 1978 ainda cursando Artes Plásticas na Universidade Mackenzie -, "a estrutura da tecelagem é a mesma há séculos, embora os métodos tenham se reiventado" TECIDOS, Dinah Bueno.

O representa para você essa arte mágica da Tecelagem em criar tecidos?

A arte mágica da tecelagem representa minha escolha de vida. Veio de dentro, desde os 6 anos de idade brincava com fios, agulhas e paninhos. Incentivada pelos pais, aos 9 anos ganhei uma máquina de costura para brincar com tecidos maiores e tesouras!
Por um pequeno desvio da juventude entrei na faculdade de Engenharia e logo percebi que ali não era meu lugar. E em seguida, ao cursar Desenho e Plástica, quando me encontrei cara a cara com o TEAR, tive certeza que estava no lugar certo e na hora exata.
Tecer é um processo mágico pela sua ancestralidade, nos remete ao primitivo, mesmo que inconscientemente. Imagina você quando o primeiro tecido foi criado, que momento mágico foi aquele! Tudo o que surgiu com a possibilidade de se ter uma segunda pele feita a partir de fibras. O que sinto em relação à isso é algo como se sempre estivesse conectada a este primeiro fio que fez o primeiro tecido. É assim, meio impalpável mesmo.

Qual a primeira coisa que um jovem tecelão precisa saber, entender?

A primeira coisa a saber, de dentro de si, é se esse amor pela arte mágica do tecer, pelo tecido mora em seu coração. Definido este ponto, é preciso compreender que é o início, a semente, e se bem trabalhada, bem direcionada, com foco e nunca esquecida, poderá se transformar em uma base estrutural de toda uma vida!
É preciso traçar objetivos próprios, fincar os pés no chão e ter claro que o mercado é o sujeito da história, preparar-se para enfrentar as adversidades, altos e baixos sem perder o foco e o ânimo!
Tem que estar ligado em tudo, em como se administrar, em marketing pessoal, gestão pessoal, de equipe, tem que estudar sempre, aprender sempre, se renovar! Ver e enxergar, ouvir e escutar. Trabalhar, quando possível com pessoas que estejam à sua frente, assim poderá aprender sempre.
Trabalho é trabalho, mas quando se gosta do que se faz nada disso pesa.


3. Além de Designer, você também é Consultora, certo? Como desenvolve essas atividades?

Consultoria é uma atividade que desenvolvi, inicialmente em parceria com o SEBRAE e depois por conta própria. Minha experiência nessa área é sempre junto à comunidades de artesãos, que já trabalham com o têxtil (não necessariamente tear).
O objetivo da consultoria é dar "uma nova cara" aos produtos já existentes na comunidade e assim promover sua inserção no mercado e consequentemente geração de renda.
Para isso analiso os produtos e defino adequações, de cor, acabamento, conceito, substituição de material, formato, tamanho, enfim, é como um workshop, um período de convivência para produção de novas coleções temáticas com design!

4. Você trabalha com artesãos mineiros e mulheres da ONG Despertar, de São Paulo; a linguagem têxtil dessa troca deve render boas experiências. Nos fale um pouco dessas relações e parcerias.

Essas relações e parcerias são um patrimônio interno, um aprendizado VIVO, uma universidade mesmo!
Chegar em Minas e encontrar uma tradição secular em teares foi fantástico, fui tomada por profundo respeito e admiração por aquelas pessoas e suas histórias.
No inicio precisei aprender a lingua dos mineiros para poder me fazer entender, pois eles trabalhavam basicamente o algodão em trama dura, bem batidinha, tecidos firmes, e meus tecidos eram de materiais muito leves, tramas abertas, menos força no braço. Precisamos de um tempinho para esse entendimento, e então nossa química aconteceu forte e produtiva!

O trabalho com a Associação Comunitária Despertar, outro casamento feliz!

Produzimos bem:

-Primeiro, criei uma embalagem com aproveitamento de garrafas pet, as crianças da associação recolhiam as garrafas das ruas e as mulheres confeccionavam as embalagens.

-Depois peguei gosto e doei 5 teares pente liço e capacitei algumas mulheres. Três permaneceram.No início comprava o trabalho delas para incentivar, depois incorporei-as como produção de meu ateliê, neste momento os teares foram para suas casas.
Que experiência boa, era um trabalho voluntário que me ocupava uma tarde por semana, e me distraia a mente.
Nossa relação só cresceu e se transformou em muitas outras parcerias, de outros trabalhos.

-Em outra ocasião a Associação Despertar me contratou como consultora para desenvolver uma coleção exclusiva para a loja do MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo).

Formamos literalmente um time, alegre e cooperativo!

5 Sustentabilidade, reciclagem, preservação do meio ambiente... Como analisa esse novo momento de nossas vidas: de termos um compromisso de cuidar melhor do nosso planeta, após tantos anos de abuso das reservas naturais do planeta?

Analiso o momento como uma grande possibilidade de mudança e conscientização mundial. Porque finalmente TODOS percebemos que habitamos um planeta chamado Terra que está com os dias contados se nada for feito imediatamente.Conscientização esta imposta pelas condições reais em que a terra se encontra. Afinal se o planeta é nossa casa, e reflete nossa condição interna como humanidade, temos que enfrentar essa dura verdade e mudar imediatamente essa história. Tornarmo-nos adultos como humanidade. Não há mais espaço nem tempo para justificativas, desculpas nem críticas. E quem já enxergou e já tem uma nova atitude, tem por responsabilidade "conduzir" aqueles que ainda não conseguiram se conscientizar, da maneira que melhor convier.
Estamos todos no mesmo barco, aprendendo a viver de forma sustentável, ninguém sabe tudo ainda, apenas uma coisa é certa: nós não vivemos sem a terra, mas ela viverá sem nós, se preciso for, e se restabelecerá.

6. Manipular fibras para você é? O que não pode faltar no seu urdume e sua trama?

Manipular fibras é acolhedor e motivador! No meu urdume ou trama não pode faltar fio de toque gostoso!

7. Quem foram seus Mestres da Arte Têxtil?

Queridos mestres, que muito me ensinaram:
Anca Di Segni, Eva Soban e Henrique Schucman!!!

8. Poderia escolher, comentar, e enviar duas imagens de seus trabalhos
enviarei em outro email


9. Como ver a ARTE TÊXTIL e o ARTESANATO no Brasil?

Arte Têxtil é uma arte que existe e persiste, temos profissionais de muito talento nessa área! Para que seja mais valorizada ou reconhecida, é questão de tempo.
Nosso artesanato é maravilhoso e é reconhecido cada vez mais pelo mercado interno e externo! A questão ainda é a remuneração de quem produz.
O Brasil atravessa uma fase interessante, o brasileiro experimenta um sentimento de auto estima, algo novo no cenário, é visível e isso só poderá refletir de forma positiva para a arte e o artesanato brasileiros. Acredito nisso!

10. Projetos para 2011 com o Tear de Pente Liço?

Alguns projetos.

Há dois anos deixei São Paulo em busca de qualidade e aproveitei para fazer um sabático tão desejado após 30 anos de tecelagem.
Agora, retomei num ritmo interiorano, um novo caminho solo, tenho feito peças com tudo o que tenho à meu alcance, voltei a garimpar em ferro velho, que é uma coisa que amo de paixão e tenho tramado ferro com lã, com tecidos, no tear, crochê, tricô, costura. Enfim, liberdade total!
Criei um produto de parede, baseado em tudo isso e pretendo apresentar um conjunto dessas peças em Marília, juntamente Sonia Bassalobre, artista têxtil da cidade, até o final do ano.
Tenho gostado muito de vivenciar a coisa local, como inspiração geral.
Participarei do TENET, o encontro dos Têxteis em Abril em São Paulo.

11. Simplicidade é?

Penso que a simplicidade pode ser encontrada nas coisas naturais.
As coisas naturais são simples. A verdade é simples.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Alex èrza
 

Mais
Acesse Link
www.peixesempeixes.blogspot.com
Texto e novas imagens

Alexandre Heberte

Alex èrza · São Paulo, SP 5/2/2011 10:56
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados