Favela a preço de banana!

1
Padre Mauro BH · Itália , WW
3/3/2011 · 2 · 1
 

Programa Vila Viva ou Vila Morta?

A Prefeitura de Belo Horizonte quer remover os favelados das regiões ricas e valorizadas da cidade para melhorar a qualidade de vida dos verdadeiros cidadãos destas regiões. Eles querem eliminar as favelas mandando os pobres e negros pra bem longe destas regiões. Considero que o Programa Vila Viva possui erros estruturais que devem ser corrigidos antes de iser mposto “goela abaixo” aos favelados. Sou totalmente contrário à metodologia e à forma como tal programa esta sendo imposto e, por isso, inicio minha luta a favor da manutenção e permanência dos pobres e negros nas regiões centrais de Belo Horizonte. Defendo que o recurso financeiro previsto seja aplicado aqui mesmo, mas para a melhoria da qualidade de vida dos próprios favelados, não para “preparar o terreno” para a especulação imobiliária. Considero que os favelados não devem ser “removidos” da cidade e que o Programa Vila Viva é mais uma ação racista e discriminatória que desrespeita a riqueza e os valores culturais das favelas, verdadeiros espaços remanescentes de quilombos. Defendo a LEGALIZAÇÃO IMEDIATA DOS TERRENOS DOS FAVELADOS.
Na semana passada, quando ainda não havia me aprofundado na questão do Projeto “Vila Viva”, proposta da Prefeitura para exterminar as Vilas e Favelas das regiões ricas, eu disse, em todas as missas, que ainda não tinha formado minha opinião a este respeito. Depois da Audiência Pública da Assembleia Legislativa, que aconteceu na segunda-feira, dia 6 de dezembro, na Barragem Santa Lúcia, quando ouvi os argumentos dos representantes da URBEL cheguei a uma conclusão: SOU TOTALMENTE CONTRA O VILA VIVA e irei me referir a esta iniciativa maldita da Prefeitura, a partir de agora, como ”Projeto Vila Morta”. Defendo que o dinheiro que está sendo usado para comprar as casas e as pessoas seja usado para melhorar a nossa vida aqui na Favela, não mais para nos expulsar daqui. Faço isso porque não devo nada a esta atual administração, não sou capacho e nem pelego da Prefeitura, esta raça de víboras que administra esta cidade-exclusão. Não sou funcionário da prefeitura e não recebo o dinheiro deles para convencer os favelados a venderem suas casas a preço de banana. Jesus foi vendido por 30 moedas de prata, por Judas traidor. Não estou disposto a vender o Quilombo para os especuladores e bandidos que estão de olho no nosso pedaço de chão.
Estou disposto a levar esta denúncia até às últimas consequências. Quero avisar: Não tenho medo de ameaças, conheço os métodos sórdidos e perversos desta atual administração. Apresento sete razões para discordar TOTALMENTE de mais este projeto perverso da Prefeitura de Belo Horizonte:

1. Nossa Favela será atingida pelo “Vila Morta” por estar localizada em uma das regiões mais ricas e valorizadas da cidade. Ou seja: A Prefeitura de Belo Horizonte está, apenas, dando um jeito de mandar os pobres e negros pra longe dos olhos dos ricos cidadãos.

2.O “Vila Morta” irá causar a quebra dos laços de sociabilidade entre os favelados e um forte abalo psicológico nas famílias. Eles nos disseram que o projeto não está pronto, mas já estão pichando os muros das casas que serão destruídas, como faziam os nazistas nas casas dos judeus perseguidos. O “Vila Morta” já está entre nós, só não vê quem não quer.

3. Nós não possuímos nenhum documento legal que nos garanta a Propriedade do terreno onde vivemos há mais de 90 anos. Isso faz com que o valor pago nas indenizações seja baixíssimo e injusto. Ou seja, somos obrigados a vender nossas casas a preço de banana.

4. Ainda não estamos preparados para começar a pagar IPTU e Condomínio. Sabemos que muitas famílias fazem ‘gato’ na rede elétrica e na rede de água. Mudando para os ‘predinhos’, que mais parecem pombais, teremos de assumir todos estes novos gastos.

5. Está previsto o alargamento da Rua Principal, para criar uma avenida, que irá dividir a favela em dois pedaços, gerando a expulsão de muitas famílias, aumentando e acelerando o trânsito de veículos. Tal proposta modifica a dinâmica social e dificulta a vida na Favela.

6. Para quem decidir ficar nos ‘predinhos’, caixas de sapato número 35 ou pombais, como são conhecidos, o custo de vida aqui irá sofrer um forte aumento: aluguéis, supermercado, açougue, impostos… Além disso, as famílias que vivem do comércio serão obrigadas a abandonar sua fonte de renda, por ser incompatível com as leis de um condomínio.

7. Os ricos querem ficar livres dos pobres, querem nos mandar para longe, custe o que custar. Servimos para lavar suas roupas e privadas, limpar seus palácios, cozinhar e varrer suas ruas. Eles nos querem como motoristas, domésticas, manicures, jardineiros, pedreiros, porteiros, babás… Mas não nos querem como vizinhos.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Luca Borgonovi
 

Bom, eu sou totalmente a favor disso, os favelados devem sim ir embora das cidades, esse mundo está tão lixo assim hoje em dia por causa dos pobres, vamos ao meu ponto de vista ok?
- Em primeiro lugar... Os pobres colocam fogo em tudo, e prejudicam a camada de ozônio...
- Em segundo lugar... Os impostos do Brasil estão tão altos assim graças aos pobres sabe por que?
Porque no Brasil como todos sabem, o que mais tem é favela, tem muita favela nesse país, ou seja, quem ultiliza hospital, escola entre outros serviços do governo?
Os pobres!
Sim, se os pobres não existissem, eu sei que tudo seria muito mais barato, ou seja ganhariamos bem menos, mas se a gente tivesse uma renda menor e tudo fosse mais barato, o que melhoraria?
O desmatamento...
Eu sempre vejo aqueles comerciais na TV para doar alguma coisa, tipo comida, dinheiro, livros para os pobres.
Sim, eu sei, tem alguns pobres que realmente da dó de ver, aqueles mortos de fome que realmente queriam ir para a frente mas tem uma droga de família que não permite, esse sim eu defendo e gosto muito, entretanto, esses não passam de 3%, a maioria é tudo favelado que arruma briga por nada, que não tem educação nem caráter!
Os pobres fazem poluição hambiental e principalmente poluição visual para cidade, espanta os turistas, se você for em um bairro de rico ou classe média, tudo é muito calmo, queto, e bem sossegado e confortável, mas nossa, se você for em um bairro digamos... Meio pobre, de dia tem um monte de favelado indo embora da escola do governo usando aqueles visuais muito extravagantes, gritando, brigando, andando no meio da rua, e de noite... Piorou. De noite é aquela música alta, todo mundo saindo das casas e gritando, dançando, todo mundo bêbado, e nos piores bairros, tem coisas muito piores como tiroteio, brigas, pessoas se drogando que isso todo bairro pobre tem e é fato!
Se você ligar para a polícia e dizer por exemplo que seu padrasto está batendo em sua mãe e na sua irmã, e dizer um bairro de classe média, certo ele vai na hora, mas se você dizer que é um bairro pobre, ele vai na maior calma, não é que o policial tem preconceito contra os pobres, é que ele sabe muito bem o que são os pobres, pobre briga todo dia, arruma confusão por qualquer coisa...
E outra coisa, eu li também ai, que os negros iriam também ser retirados...
Olha, eu não sou a favor de tirar alguém pela cor da pele, muito pelo contrario, acho isso um ato muito escroto, mas se esses negros que citaram ai, também for pobres favelados, ótimo, eu também concordo plenamente que eles devem ser retirados...
Hoje em dia do jeito que as coisas estão, só é pobre quem quer, porque eu já conheci muitos pobres que cresceram na vida, com a Internet, só não cresce quem quer.

Luca Borgonovi · Sorocaba, SP 4/4/2011 19:45
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados